Beneficiárias do Prêmio

Capa do relatório de 2013 da Al-Haq sobre a discriminatória apropriação de água pela Mekorot, a companhia de água de Israel, na Cisjordânia ocupada. Foto: Al-Haq

Em 2015, a Al-Haq pediu ao governo da Holanda que proibisse as empresas holandesas de exportar cães para as forças de segurança israelenses, visto o seu uso para atacar e intimidar os palestinos civis. Foto: IMEMC

Mina Nahal Raba Quarry, pertencente a HeidelbergCement, na Cisjordânia. A Al-Haq expressou preocupação porque as minas desta multinacional no Território Palestino Ocupado expropriam recursos naturais em violação ao direito internacional. Foto: Kerem Navot

Construção do sistema de trens ligeiros de Jerusalém, com linhas que passam pelo Território Palestino Ocupado e conectam os assentamentos israelenses. A Al-Haq e outras organizações fizeram um chamado às empresas para que abandonem o projeto, uma vez que viola o direito internacional; empresas da Austrália, do Canadá, da França e da Alemanha abandonaram o projeto. Foto:Al-Haq

A Al-Haq demonstrou preocupação de que o Airbnb viola o direito internacional ao listar propriedades nos assentamentos israelenses no Território Palestino Ocupado. Foto: Mondoweiss

Beneficiária do prêmio de 2019

Al-Haq

A Al-Haq, uma organização independente palestina de direitos humanos sediada em Ramallah (Cisjordânia), tem feito um trabalho revolucionário ao chamar a atenção para o modo como certas empresas, que operam no Território Palestino Ocupado, estão envolvidas em violações de direitos humanos e do direito internacional humanitário. A Al-Haq também contribuiu ao tratado sobre empresas e direitos humanos que está sendo redigido na ONU, e ajudou outras ONGs do Oriente Médio a desenvolver os seus trabalhos sobre direitos humanos relacionados às empresas.

Mais informações Todos os nomeados em 2019
Beneficiária do prêmio de 2018

Justiça nos Trilhos

A Justiça nos Trilhos é uma organização que trabalha de perto com as comunidades locais, em áreas remotas do Brasil — incluindo povos indígenas, camponeses e afrodescendentes — para examinar os abusos de direitos humanos e ambientais cometidos por empresas mineradoras e siderúrgicas, especialmente a multinacional Vale.

Mais informações Todos os nomeados em 2018